Como o Big Data está salvando a indústria do varejo

By admin
10 dez 2015
Big Data

 

shutterstock_233368561O começo de dezembro marca um período agitado para o varejo e comerciantes, principalmente para aqueles que trabalham em grandes lojas do ramo de produtos, sejam roupas ou videogames. Porém, com cada vez mais opções, o consumidor possui mil maneiras de efetuar sua compra – ele nem mesmo precisa sair de casa.

Para driblar imprevistos e a concorrência, o varejo precisa estar atento às tendências, quantidade de produtos no estoque e em que momento abordar o cliente com uma promoção ou e-mail marketing. E esta indústria está conseguindo isto por meio do Big Data. São vários os exemplos de sucesso que movimentaram capital com a introdução da análise de dados na cultura empresarial.

Um dos setores que mais podem se promover com a tecnologia de armazenamento é o de roupas e moda. Esta área é conhecida pela busca constante em inovação e seu empenho em se manter a par das últimas tendências – com a necessidade de antecipá-las, antes que seus concorrentes surjam com produtos semelhantes.

“Hoje, dada a extensão de disponibilidade de dados, varejistas de moda e vestimentas podem ficar alguns passos à frente do jogo, afinal eles têm acesso a milhões de conversas nas redes sociais e podem prever as tendências antes que elas aconteçam. Acessar o comportamento do comprador baseado no clima ou nas visitas de loja online pelos smartphones pode ser usado para mudar o jogo (a favor do empresário)”, comentou Anush Prabhu, especialista em marketing, ao Business Insider.

Especialmente para o natal, época de grande fluxo de compras, o varejo trabalha antecipadamente para garantir uma fatia nas vendas. Com a solução de Big Data, torna-se possível checar diversas fontes, como pesquisa na internet, interações em redes sociais, lançamentos de filmes, dados da empresa, que já indicam possíveis tendências e quais áreas terão maior demanda. Outro artifício é localizar o cliente cujo potencial de adquirir o produto é maior, através dos canais sociais, mensagens de textos e email-marketing.

Uma tática interessante que alia os princípios do Big Data aos do marketing é o teste A/B, no qual cria-se uma plataforma para verificar qual alternativa, dentre duas, tem maior potencialidade de gerar lead. Normalmente, acontece no ambiente digital e duas opções são exibidas separadamente para o público. A que for mais efetiva, seja por venda, clique ou outra variante, é escolhida para permanecer no website.

Na Era da Internet, profissionais de marketing não concretizam nada sem dados, por isso a importância do Big Data em determinados negócios. A análise e armazenamento de um grande fluxo de informações torna eficiente e rentável um serviço, pois a tecnologia consegue mais facilmente detectar padrões do que os seres humanos, em questão de tempo e precisão. Reconhece-se que hoje a quantidade de dados é enorme e continua a crescer sem precedentes e é possível encontrar soluções se tiver em mãos a ferramenta e os cientistas certos.