Veículos autônomos: o que o futuro nos reserva

By Juliana Monaco
17 maio 2018
Inovação

Vivemos em uma época em que estamos dando saltos na tecnologia, passando de ideias abstratas para a realidade. Desde a substituição de engrenagens manuais por transmissões automatizadas até os Sistemas de Posicionamento Global (GPS) instalados em carros, estamos agora falando de veículos totalmente autônomos. O que é um veículo autônomo? É um veículo sem motorista, controlado por computadores.

Veículos autônomos: o que o futuro nos reserva

Imagem: Pixabay

Esse tipo de veículo já é uma realidade concreta. Em abril de 2016, um pelotão de caminhões autônomos conectados à rede sem fio completou uma viagem transfronteiriça na Europa. No início deste ano, a Uber anunciou que encomendou 24.000 Volvos autônomos. Os veículos autônomos ainda precisam ser adotados em larga escala, mas a crescente tendência de transporte como serviço, e não como commodity, projeta um prazo mais curto, já que empresas e indústrias privadas estão querendo investir. Essa tecnologia está procurando resolver alguns problemas importantes de segurança rodoviária, eliminando o erro humano, que é a principal causa de acidentes.

Um futuro sem motorista fará com que as pessoas não possuam carros próprios. Em vez disso, o transporte será um serviço prestado por empresas que possuem frotas de carros autônomos. Estacionamentos e garagens, por exemplo, retrocederão a um ponto de obsolescência. O tráfego mudará à medida que os carros operarem 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Inicialmente, os veículos foram construídos para sobreviver aos acidentes, mas isso muda com os veículos autônomos. Por serem elétricos e não precisarem de nenhum controle humano, esses carros precisarão de menos peças para serem fabricados e, assim, serão produzidos mais rapidamente. Além disso, o design dos veículos mudará. Como as chances de acidentes serão eliminadas, os materiais usados ​​na construção, como fibra de carbono, permitirão diversidade no design. Veículos autônomos virão em diferentes tamanhos e formas, possivelmente com a capacidade de se conectar uns aos outros para determinadas situações.

À medida que os proprietários de carros particulares recuarem, as carteiras de motorista desaparecerão, junto com o departamento do governo que as emitiu. A natureza do policiamento também mudará. Como o fluxo de tráfego se tornará automatizado por carros sem motorista, o policiamento de tráfego será desnecessário. Semáforos e sinais serão redundantes. A relação entre pedestres e veículos também será afetada.

A mudança para veículos autônomos terá muitas implicações geopolíticas à medida que os carros elétricos substituem os veículos movidos a combustível. Os produtos petrolíferos tradicionais tornam-se menos valiosos. O petróleo pode ainda ter valor na produção de plásticos e outros materiais derivados, mas não será queimado para gerar energia, o que refletirá também na mudança climática.

O que fica entre nós e esse futuro é apenas uma questão de tempo.

Fonte: Datafloq